O médico Amílcar Silva e o gato Bamban
Ricardo Filho/iG Guarulhos
O veterinário Amílcar Silva com o gato Bamban, que recebeu esse nome por "ter sido 'bambandonado' no jardim da clínica", conta em tom de brincadeira

Cães e gatos estão mais sensíveis e vulneráveis no período de inverno . Assim como os humanos, os pets também se ressentem das mudanças climáticas , especialmente nesse período de frio e ar mais seco. Se no verão doenças de pele , como as alergias, carrapatos, pulgas e piolhos são mais comuns, quando esfria os problemas respiratórios representam os maiores riscos.  Rinite, traqueíte, Traqueobronquite, pneumonias, conjuntivites estão entre as doenças mais freqüentes enfrentados pelos dogs e miaus quando a estação muda e as temperaturas caem.

Segundo o médico veterinário da clínica GuaruVet (Jardim Tranquiidade), Amilcar Silva Júnior , nesses períodos assim como os humanos, os animais também são mais acometidos por doenças respiratórias. “São como os humanos e sofrem bastante com as mudanças bruscas do tempo”, diz o veterinário. Amilcar é formado pela Faculdade de Medicina Veterinária da USP e cuida de bichos há mais de 30 anos. Antes de clinicar, foi veterinário do Exército onde trabalhou no departamento de Inspeção de Alimentos. Desde que deixou a vida militar, em 1991, sua vida foi a clínica médica veterinária, primeiramente como empregado e depois como titular da GuaruVet . Ou seja, não lhe falta experiência quando o assunto é cuidado com animais .

“As pessoas agora estão com mais consciência sobre as necessidades dos animais , mas muitas ainda acham que basta dar a vacina contra a raiva a vida toda e não é assim”. De acordo com ele, a vacina contra a raiva é muito importante, mas o acompanhamento profissional do pet pode ajudar em vida mais longa e saudável do animal . Amilcar explica que há um combo de ações importantes no cuidado com os bichinhos, mas que a atenção básica com vacinas e alimentação pode melhorar não só a saúde dos animais, mas também dos cuidadores , uma vez que algumas doenças típicas dos pets podem se manifestar nos humanos.

“Nos gatos , eu recomendo a vacina V4 ou quádrupla felina. A V4 protege contra a Panleucopenia (que é uma virose intestinal) e contra três doenças que compõem o Complexo Respiratório Felino (rinotraqueíte, calicivirose e clamidiose), explica o médico. Em resumo, essas doenças provocam sintomas que podem variar do desagradável, passando pelo doloroso até chegar a morte dos bichanos. Juntas, se manifestam na forma de infecções intestinais , vômitos e diarréia, espirros, secreção nasal e ocular, conjuntivite, coriza, e úlceras na língua e nos lábios dos gatinhos. São sensações nada agradáveis que podem ser mortais.

Já para os cães , o recomendado é a vacina V10 , que protege contra a cinomose, parvovirose, adenovirose, parainfluenza, hepatite infecciosa canina, quatro tipos de leptospirose. E também atua na proteção contra o coronavirose (sim, eles também passam por isso!). Essas doenças além de afetar seriamente a saúde dos cães, podendo matar o bichinho, também podem ser transmitidas aos cuidadores , então não se deve perder o foco da saúde do amigão. Além da V10, o veterinário recomenda adicionar à proteção dos cães a vacina contra a gripe ou tosse canina , a chamada “ tosse canis ”, que assim como nos gatos e humanos , acomete os dogs nessa época de mudanças súbitas de temperatura.

Os cuidados, porém, não terminam com as vacinas. Os animais podem apresentar todos aqueles problemas de parasitas que abrem essa matéria. Então a presença do médico veterinário é sempre importante. Outro aspecto que precisa ser observado para quem decidiu manter um animal como companhia para a vida toda, a começar pelo período de reclusão da quarentena , está relacionado à alimentação do animal .

Hoje existem rações balanceadas para todas as fases e situações, inclusive rações terapêuticas , que pela sua formulação, auxiliam nos tratamentos de doenças como diabetes, insuficiência renal, insuficiência cardíaca, alergias alimentares, etc. Esses são os cuidados essenciais para manter a saúde do animal equilibrada . Então, esteja também atento ao que os pets estão comendo. Com tudo em dia a vida do cuidador fica menos tensa e a do animal também. Não exatamente nessa ordem. Se o animal está bem, seu humano fica menos preocupado. Ambos ganham em qualidade de vida . Aí, é só aproveitar e desfrutar da companhia um do outro, especialmente nesse período de reclusão.

    Veja Também

      Mostrar mais