Ponto de ônibus da rua Sete de Setembro
Ricardo Filho/iG Guarulhos
De acordo com a prefeitura, proporcionalmente ao número de passageiros, hoje tem mais ônibus nas ruas do que antes da pandemia


A prefeitura de Guarulhos informa que a cidade tem 69% da frota de ônibus nas ruas nesse período de pandemia do novo coronavírus . De acordo com a diretora de Transportes, Martha Bitner, isso significa que existe uma folga em relação ao chamado período normal, quando 100% dos ônibus transportavam, em média, 448 mil passageiros por dia. Hoje, 69% da frota colocada nas ruas do município tem levado 241 mil usuários/dia, o que representa 54% do total que era registrado antes do início das restrições impostas pela doença.

A base para os cálculos é feita comparativamente entre os meses de abril a junho, tomando-se como comparação o ano de 2019 (sem pandemia) e 2020 (já com o isolamento social provocado pela covid-19 ).

“Em abril de 2019 foram transportados 481.111 passageiros em abril, contra 171.960 mil em 2020, ou seja, apenas 36% do total transportado um ano antes. Os números se repetiram em maio, com 445.810 em 2019 e 174.712 neste ano (39%). Por sua vez, junho de 2019 registrou um total de 413.089 passageiros, contra 200.752 neste ano (49%)”, afirma a diretora.

LEIA TAMBÉM:

Guarulhos avança à fase amarela e poderá abrir bares e restaurantes

Guarulhos vai recorrer de decisão que obriga o fechamento do comércio

Trabalhadores e consumidores voltam na segunda; ônibus a mais serão 7,7%

Ainda segundo a prefeitura, a evolução da frota apresentou os seguintes números: em 2019, em ano normal, rodavam os 858 ônibus (100% do total). Com a pandemia, esse número caiu para 360 em abril deste ano (42%), subiu para 532 em maio (62%), 560 em junho (65%) e chegou a 591 em julho (69%).

“O que provoca concentração de passageiros em algumas linhas específicas é o chamado horário de pico , que acontece entre 7h e 10h, e, no final do dia, entre 17 e 20h, mesmo com o escalonamento de horários" determinado pelo prefeito Gustavo Henric Costa (PSD) na flexibilização que se implantou na cidade desde junho, afirma Bitner. A diretora de Transportes conclui: "Isso é algo que existe em todas as metrópoles do mundo. O horário de pico sempre foi e continuará sendo o gargalo para o transporte público de qualquer grande cidade".

Retomada

Ponto de ônibus da rua Sete de Setembro
Ricardo Filho/iG Guarulhos
Mesmo como o escalonamento dos horários de funcionamento dos estabelecimentos, os pontos de ônibus continuam aglomerados

Nesta segunda-feira (13), a cidade reabriu bares e restaurantes e colocou na rua um contingente de pessoas ainda maior do que havia entre março e início de junho. Na segunda semana de junho, porém, a cidade começou o processo de retomada da economia com a flexibilização de alguns setores do comércio . Na sexta (10) o secretário de Justiça, Airton Trevisan, anunciou o aumento da frota em 7,7%, passando de 65% para 70%, para suprimir as demandas dessa multidão que estará de volta ao trabalho e também daqueles que estarão consumindo produtos e serviços autorizados.

A reabertura dos comércios e serviços não essenciais em Guarulhos teve início em 12 de junho, contrariando o Plano São Paulo de retomada da economia estabelecido pelo Governo de São Paulo. Desde essa primeira flexibilização as reclamações em relação à frota de ônibus aumentaram nas redes sociais e passaram a merecer atenção do prefeito Guti nas lives feitas diariamente.

    Veja Também

      Mostrar mais