Viaduto Cidade de Guarulhos; Ponte estaiada
Divulgação/Prefeitura de Guarulhos
Cidade não atende aos requisitos estabelecidos para a flexibilização, assim como todas as cidades da Região Metropolitana de São Paulo

Guarulhos não é elegível para iniciar a abertura de alguns modais de comércios e serviços não essenciais, previsto pelo Plano São Paulo e divulgado pelo governador João Doria (PSDB), nesta quarta-feira (27).

A cidade não atende aos requisitos estabelecidos para a flexibilização, assim como todas as cidades da Região Metropolitana de São Paulo.  De acordo com o Plano, serão estabelecidas novas regras de isolamento social, que darão início à retomada gradual das atividades a partir do dia 1º de junho. As medidas serão heterogêneas, levando em conta as características específicas de cada município.

O plano terá cinco etapas. As regiões serão classificadas em fases de acordo com os critérios definidos pela secretaria estadual da Saúde e pelo Comitê de Contingência da Covid-19. Só poderão iniciar a retomada das atividades as cidades com taxa de isolamento de no mínimo 55%; as que tiverem redução no número de novos casos por 14 dias seguidos e também os municípios que mantiverem ocupação nos leitos de UTI inferior a 60%.

A flexibilização só "será possível nas cidades que tiverem redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em seus hospitais públicos e privados e estiverem obedecendo o distanciamento social nos ambientes públicos, além da disseminação e do uso obrigatório de máscaras", disse o governador.

Embora não atenda aos requisitos do Plano SP, a capital poderá iniciar a retomada gradual das atividades a partir de 1º de julho. Guarulhos, por sua vez, não está dentro desses requisitos e terá de se enquadrar nas diretrizes. Na terça-feira (26), o índice de isolamento social na cidade foi de 45% e os hospitais ultrapassaram a capacidade de internações. A cidade registrou ainda 1.740 casos de pessoas com coronavírus – 109 a mais que no registro divulgado no boletim anterior, no sábado (23) – e 225 mortes decorrentes da Covid-19.

    Veja Também

      Mostrar mais