Maria Madalena Souza do Centro de Convivência do Idoso
Divulgação/Prefeitura de Guarulhos
Maria Madalena de Souza, de 68 anos, diz que no começo da quarentena foi um pouco difícil, mas ficou melhor com as ligações do pessoal CCI

Os 973 idosos que estão sendo acompanhados a distância pelas duas unidades do Centro de Convivência do Idoso (CCI) de Guarulhos – Santa Mena e Gopoúva – aprovam a iniciativa. Em razão do distanciamento social necessário por conta da pandemia de Covid-19, desde o dia 1º de abril 25 funcionários desses equipamentos da Prefeitura monitoram semanalmente os assistidos por telefone ou WhatsApp como forma de fortalecer vínculos e de promover atividades que os tranquilizem, gerem bem-estar e os estimulem a permanecer ativos.

Nos contatos a distância os idosos são orientados sobre a importância da realização de atividades diárias e são encaminhados por mídias sociais vídeos informativos sobre nutrição, autoestima, segurança, exercícios respiratórios, além de videoaulas de ginástica, estimulação cognitiva, dança e artesanato (pintura em tecido). Elaboração de cartazes, desenhos, colagens, fotos e vídeos estão também entre as práticas propostas.

Repercussões

Usuária do Centro de Convivência do Idoso Santa Mena, Maria Madalena Souza, 68 anos, vive com o esposo e relata como tem passado o período de distanciamento social. “No começo da quarentena foi um pouco difícil. Com as ligações e palavras de otimismo orientando do pessoal do CCI, estou bem. Pediram-me para fazer um cartaz com frase me senti como na escola e na catequese, mas lembrei que não tinha cartolina nem lápis em casa. Usei o avesso de um calendário velho e colei as letras. Foi muito bom, me alegrei, passou o tempo e me diverti. Achei que a quarentena fosse mais difícil. Agradeço este trabalho do CCI que nos da força e nos ajuda muito, muito mesmo. Me sinto mais leve, mais segura e mais tranquila”, afirma Maria Madalena.

Frequentadora da unidade Gopoúva e completando 72 anos este ano, Maria Lopes frequenta aulas de artesanato. Para ela, as ligações telefônicas aproximam. “É maravilhoso este contado com o CCI. Tenho me sentido bastante desenvolvida e dá para sentir que estamos juntas. Admiro a preocupação com todas nós. Esta separação vai passar. Deus é poderoso”, diz Maria, que prossegue executando peças de crochê.

A satisfação dos idosos ao receber a chamada telefônica é descrita pela funcionária Valdice Calisto, nutricionista do CCI Gopoúva. “Em meio a todo o caos muitos idosos estão isolados, sozinhos e distantes dos entes queridos. Nós do CCIs tentamos levar um pouco de conforto através de ligações. Posso dizer que a resposta é muito positiva. Conversei com muitos e eles não têm palavras para agradecer quando nos identificamos e informamos o motivo da ligação. Alguns choram, outros oram e até cantam. A sensação é saber que, apesar de parecer pouco, fazemos a diferença na vida de alguém”, diz Valdice.

Suporte

Margarete Mota é psicóloga do centro de convivência do idoso
Divulgação/Prefeitura de Guarulhos
A prioridade da equipe dos Centros de Convivência dos Idosos, como a psicóloga Margarete Mota, é manter o atendimento e acolhimento mesmo sob pandemia

Para a realização do acompanhamento a distância foram necessárias reuniões de planejamento e capacitação dos funcionários, conforme a psicóloga do CCI Santa Mena, Margarete Mota. “Com a suspensão das atividades do CCI, desde março nós tivemos de imediato a preocupação de pensar ações que pudessem fazer o acolhimento necessário para o nosso público, tendo em vista que a finalidade do Centro de Convivência do Idoso é o fortalecimento de vínculos, evitando o isolamento social. Para isso, fizemos um trabalho de planejamento e de capacitação com todos os funcionários dos CCIs para que pudéssemos manter um acompanhamento e acolhimento telefônico dos assistidos pelos dois equipamentos”, conta Margarete.

O objetivo, segundo a psicóloga, é que os assistidos se sintam amparados e cuidados. “Elaboramos um protocolo de atendimento, uma ficha para sabermos quem são suas redes de apoio, como se organizam nas atividades diárias, quais suas medicações, além de oferecermos orientações nutricionais e de saúde (máscaras, álcool em gel, sono regular, tomar sol, entre outras). O intuito do acompanhamento a distância é que nossos idosos se sintam acolhidos”, explica a psicóloga.

Todos os acompanhamentos são discutidos em reuniões semanais técnicas e com os funcionários, nas quais o trabalho é compartilhado e são propostas ações para desenvolverem com os idosos. Se percebido que o assistido está angustiado, muito triste ou ansioso e, havendo necessidade de acolhimento psicológico, é realizado o atendimento remoto pelo telefone ou videoconsulta pelas psicólogas.

    Veja Também

      Mostrar mais