Remédios variados
DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Nitazoxanida foi aprovada para testes porque ensaios mostraram que seus componentes podem reduzir em 94% carga viral do Sars-Cov-2


Em transmissão ao vivo, neste domingo (21), o prefeito Gustavo Henric Costa (PSD) anunciou que voluntários da cidade deverão participar dos testes da nitazoxanida contra o novo coronavírus ( Sars-Cov-2 ). O medicamento não é novo e comercialmente atende pelo nome de Anitta , um vermífugo que ainda causa muita discussão quando o assunto é eficácia contra a Covid-19 . Segundo Guti , ainda faltam alguns detalhes para concluir o convênio com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações ( MCTI ), que já está testando o medicamento com voluntários na cidade de São Caetano do Sul , também na Região Metropolitana de São Paulo.

“Guarulhos mesmo está começando um protocolo com o governo federal , com o Ministério de Ciência e Tecnologia para que a gente consiga ajudar na testagem de um medicamento chamado Anitta. Ainda não avançamos nesses protocolos totalmente para assinar, mas nossa intenção, assim como a cidade de São Caetano, é ajudar o governo federal, é ajudar o Brasil para ver se esse medicamento chamado Anitta realmente pode ser usado no tratamento do coronavírus ”, declarou o prefeito. Guti, porém,  não explicou o que falta para concluir o convênio e nem quando esse tema será tratado ou finalizado.

Testes

No último dia 12, o governo federal anunciou a participação de 500 voluntários em estudo clínico com o medicamento nitazoxanida no tratamento ao coronavírus, no Hospital Albert  Sabin , na cidade de São Caetano do Sul. O ministro Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes , participou da mobilização.

“Isso é necessário para que façamos essa parte final da nitozoxanida e uma vez certificado cientificamente por esse protocolo, a Anvisa poderá então mudar a bula desse remédio para que seja utilizado para o Covid”, explicou à reportagem da Agência Brasil.

Leia também:

Remédio citado por Pontes para Covid-19 é testado em três países

Ministro Marcos Pontes diz que seria cobaia em testes com nitanoxanida

O medicamento que está sendo testado foi escolhido após seleção entre 2 mil fármacos feita por inteligência artificial que identificou cinco remédios com potencial para combater a replicação do novo coronavírus. Um deles, a nitazoxanida, reduziu em 94% a carga viral em células infectadas in vitro . Isso significa que o vírus não consegue se reproduzir no organismo de modo a prejudicar o funcionamento do aparelho respiratório e de outros órgãos, o que reduziria a necessidade de leitos de UTI e garantiria um maior controle médico sobre a evolução da doença . A nitazoxanida passou por testes em países, como Egito, México, Estados Unidos e China. Publicações especializadas, no entanto, se dividem quanto a eficácia e toxicidade do produto.

    Veja Também

      Mostrar mais