Multidão de máscara contra a Covid-19
DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Número de pessoas adeptas ao isolamento social para evitar a propagação do novo coronavírus vem caindo a cada domingo em Guarulhos


Sair de casa voltou a ser "coisa normal" apesar das (ainda vigentes) medidas de distanciamento . Não do " novo normal" , mas do normal de sempre. Os progressivos relaxamentos da quarentena para retomada das atividades comerciais trouxeram à população a sensação de volta à vida normal e os índices de confinamento de segunda a sábado despencaram e produziram reflexos também nos domingos – dias tradicionais de descanso e recolhimento. Neste último, dia 5, por exemplo, Guarulhos registrou 48% de pessoas em casa. É menos do que a metade da população monitorada.

Por ser um dia de menor atividade comercial o esperado pelas autoridades é que as pessoas fiquem mais tempo em casa aos domingos, o que vem acontecendo cada vez menos com as medidas de flexibilização do comércio . Desde a decretação da quarentena no estado de São Paulo, em 24 de março, este é o pior índice verificado para o dia. Nos domingos anteriores, 21 e 28 de junho, a taxa já demonstrava tendência de queda , com 49%. Em 7 e 14 do mesmo mês a taxa caiu de 51% para 50%.

Os maiores índices de reclusão foram registrados em abril, 63% nos dias 12 e 19. Uma semana depois caiu um ponto, ficando em 62% no dia 26. Em maio, o índice se mostrou insustentável. O primeiro domingo daquele mês, dia 3, teve 63% de isolamento social e foi só. Uma semana depois esse valor já não se mantinha e caia a 57% no dia 10. Desde então as quedas foram contínuas, mas ainda acima de 50%, até o dia 14 de junho. Da segunda quinzena do mês das festividades juninas para cá a queda ficou ainda mais evidente e a quarentena cada vez mais ameaçada.

A quarentena com isolamento social foram determinados pelo governo de São Paulo como forma de evitar o contato mais próximo entre as pessoas e a propagação da pandemia de Covid-19 causada pelo novo coronavírus.

    Veja Também

      Mostrar mais