CIET Ponte Alta, pessoas em busca de emprego
Divulgação/Prefeitura de Guarulhos
Com a pandemia, algumas cidades suspenderam o atendimento e muitos pedidos de seguro-desemprego acabaram solicitados em Guarulhos


O mês de maio foi o pior período para o emprego formal em Guarulhos desde o início da quarentena , em março. Em abril, deram entrada 2.213 pedidos de seguro-desemprego contra 4.722 em maio, um aumento de 113% na variação de um mês para outro, segundo dados da Secretaria Municipal do Trabalho . A pressão, sobre o emprego, todavia, caiu em junho 23,4%, quando 3.617 empregados com registro em carteira foram demitidos e solicitaram o benefício.

A alta do desemprego em maio é resultado da propagação do contágio pelo novo coronavírus , explica a Secretaria do Trabalho. “A questão do aumento de solicitações do seguro é proporcional ao número de empregos afetados nesse período de pandemia , com o fechamento de muitos postos de trabalho, mesmo que  temporariamente”. A pasta explica ainda que os números não refletem integralmente o desemprego em Guarulhos porque o Centro Integrado de Emprego, Trabalho e Renda ( Ciet ) da cidade, “atendeu pessoas de diversas cidades e inclusive de outros estados, já que os órgãos destes locais estavam fechados para atendimento”.

Comparados a 2019, os número de solicitações de seguro-desemprego em abril (789), maio (881) e junho (748) ficam ainda mais estarrecedores.  O aumento percentual na comparação entre os mesmos meses de 2019 e 2020  apresentam as seguintes variações: 180,5% (abril), 435,6% (maio) e 383,5% (junho).

    Veja Também

      Mostrar mais