Hospital de Campanha
Divulgação/Prefeitura de Guarulhos
A ocupação de leitos de UTI para covid-19 será determinante para o avanço das cidades á fase verde

O governo do estado de São Paulo anunciou neste segunda-feira (27) um ajuste nos critérios do Plano São Paulo  para que as cidades possam avançar com mais facilidade à fase verde e flexibilizar novas áreas ainda impedidas de funcionar. De acordo com o estado, a “calibragem técnica” não é um afrouxamento da quarentena , mas o estabelecimento de critérios que não onerem os municípios e ao mesmo tempo possibilitem a continuidade da reabertura .

Agora, para uma região avançar da fase amarela à verde, o percentual de ocupação de leitos  de UTI poderá variar entre 75% e 70%, além de permanecer por 28 dias consecutivos na etapa intermediária. Antes era preciso ter no máximo 60% das vagas ocupadas. As regras começam a valer a partir da próxima sexta (31). De acordo com o estado, a recalibragem visa garantir mais estabilidade no ajuste de fases, sobretudo na transição da amarela para a verde. Com as novas margens de capacidade hospitalar e de evolução da pandemia , as regiões ficam menos sujeitas a alterações de fase no Plano São Paulo sem uma mudança relevante nesses indicadores. “O objetivo é aprimorar o plano para torná-lo mais eficiente e adequado à realidade que vivemos neste momento da pandemia”, afirmou o governador João Doria (PSDB).

LEIA TAMBÉM:

São Paulo altera critérios para controle da pandemia

Guarulhos passou à fase amarela no último dia 13 e foi autorizada a abrir estabelecimentos como bares, restaurantes, academias, shoppings, salões de beleza e barbearias, além de templos religiosos. Os comércios também puderam ampliar o horário de 4 horas para 6 horas de atendimento. No sábado, a cidade registrou 75,6% de ocupação dos leitos de UTI, índice que tem oscilado bastante ao longo das semanas.  A cidade conta ainda com 16 leitos contratados em hospitais particulares.

Os dados sobre a cidade mostram ainda que a média móvel de óbitos aumentou na última atualização, divulgada no domingo, com 17,29  mortes por dia contra 13,29 há uma semana. Já média móvel de contágios caiu de uma semana para cá: eram 183,14 e agora 158,43 novas infecções diárias.

Em avaliação

Outra atualização é que os indicadores de variação das internações e variação dos óbitos exigirão números absolutos por 100 mil habitantes. Os novos índices ainda serão aprovados pelos especialistas do Centro de Contingência de coronavírus nesta terça (28), mas devem ficar abaixo de entre 30 e 40 internações e de três e cinco mortes por 100 mil habitantes.

“Essa calibragem técnica é para promover estabilidade e só fazer transições de fase no momento correto”, declarou a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen . “Esses fatores absolutos são indicadores que têm sido utilizados mundialmente e que, na discussão do Centro de Contingência, insistiu-se nessa ‘trava’ além das quatro semanas”, completou.

    Veja Também

      Mostrar mais