Márcio José Oliveira é vice-prefeito de Arujá
Reprodução/TV Record
Márcio José Araújo é acusado de desvios de verbas na Saúde municipal para lavagem de dinheiro

O vice-prefeito de Arujá , Márcio José de Oliveira  (Republicanos), foi preso na manhã desta quinta-feira (30) acusado de desvio de dinheiro na Secretaria de Saúde da cidade e de envolvimento com o tráfico de drogas . Com ele, outras cinco pessoas acusadas de esquema de lavagem de dinheiro e associação ao tráfico de drogas . Na operação batizada de “ Soldi Sporchi ” foram cumpridos 12 mandados de busca e 20 de apreensão na capital, Guarulhos , Arujá , Poá, Itaquá, Suzano e Mogi das Cruzes (todas na Grande São Paulo),  além de Itu e Indaiatuba (interior) e Bertioga (litoral).

De acordo com as investigações dos agentes do 4º DP de Guarulhos , no Jardim Alvorada, há a suspeita de que a Organização Social  (OS) contratada para gerir hospital da cidade seja braço de lavagem de dinheiro do tráfico na cidade e que Oliveira esteja ligado ao grupo criminoso. O esquema funcionava a partir de superfaturamento de contratos . O dinheiro desviado servia para lavar e continuar financiando os negócios do tráfico. A investigação apura ainda que além de fomento ao tráfico e do esquema para lavar dinheiro, os recursos desviados serviam ainda para fraudar licitações em serviços de coleta de lixo.

LEIA TAMBÉM:

Polícia Civil de Guarulhos prende 12 em ação contra o crime organizado

A prisão do vice-prefeito aconteceu por volta das 6 horas no condomínio Arujá onde mora o servidor públlico. O líder da quadrilha, Anderson Lacerda Pereira está foragido  desde a primeira fase da operação Soldi Sporchi . Membro da facção criminosa Primeiro Comando da Capital ( PCC ), Anderson é dono de 20 casas no condomínio onde Oliveira mora, segundo o delegado Fernando Góes Santiago,  que comanda as investigações. A polícia deteve ainda uma gerente do hospital municipal Dalila Ferreira Barbosa , em Arujá, e o membro de uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios e alguns de seus familiares.

Os presos estão no 4º DP de Guarulhos, mas deverão ser transferidos ainda nesta quinta para o 31ª DP, na Vila Carrão (capital).Outros envolvidos no esquema estão na mira da polícia, que aguarda a expedição de novos mandados de busca e apreensão pela Justiça. A defesa de Oliveira não foi encontrada. A prefeitura de Arujá, por sua vez, deve se pronunciar sobre o caso no decorrer no dia.

    Veja Também

      Mostrar mais