Motorista sem máscara
Ricardo Filho/iG Guarulhos
Quem usa o transporte público em Guarulhos sabe que não é difícil encontrar motoristas com máscaras sob o queixo


A covid-19 está longe de ter acabado. Em Guarulhos, até sábado (8), a doença provocada pelo novo coronavírus já havia tirado a vida de 1.105 pessoas e deixado outras 16.619 infectadas, mas para alguns motoristas e passageiros é como se a doença tivesse desaparecido repentinamente. Não é preciso muito esforço para encontrar pessoas com as máscaras sob o queixo e também sem nenhuma proteção em viagens nos ônibus na cidade. Neste final de semana nada menos que seis motoristas de diferentes linhas foram vistos com as máscaras cobrindo o queixo, num intervalo de quatro horas, em linhas que percorrem as avenidas Tiradentes e Otávio Braga de Mesquita , nos sentidos centro e bairro.

Motorista sem máscara
Ricardo Filho/iG Guarulhos
Num intervalo de quatro horas, neste final de semana, seis motoristas foram vistos com máscaras cobrindo o queixo

Quem devia dar exemplo muitas vezes ignora o uso adequado da máscara e ainda faz vistas grossas a passageiros que insistem em acessar o transporte coletivo apenas apresentando a máscara como se fosse um crachá, segurando em uma das mãos, ou com a peça cobrindo o queixo ou mesmo sem portar a proteção.

Esse desrespeito às normas impostas pelo Plano São Paulo e ao decreto municipal 36.811, que prevê o uso de máscara no transporte público , coloca em risco a saúde do próprio motorista e a de passageiros que dependem dos ônibus do sistema.

Motoristas de veículos particulares não são diferentes. É muito fácil perceber a falta de adesão ao uso do equipamento entre esses condutores nas vias do centro e periferia da cidade.

Passageiros sem máscara no ônibus
Ricardo Filho/iG Guarulhos
Prefeitura e empresas não conseguem controlar o uso de máscara no interior dos ônibus municipais e as pessoas ignoram exigência

Questionado sobre o problema, o município esclareceu, por meio da assessoria de imprensa: “A Prefeitura de Guarulhos esclarece que os motoristas foram orientados a seguir todos os procedimentos corretos com relação ao uso da máscara. Os profissionais podem sofrer punição administrativa, em caso de denúncia comprovada, mas há necessidade do número da linha, do carro e horário da viagem em que a infração cometeu. Com relação aos motoristas particulares, não há punição nesses casos e nem regulamentação do Contran ( Conselho Nacional de Trânsito ) nesse sentido”.

A prefeitura, porém,não informou quantos motoristas de ônibus foram denunciados e punidos por descumprirem as medidas de proteção.

    Veja Também

      Mostrar mais