Jair Bolsonaro durante discurso na Base Aérea, em Guarulhos
Divulgação/Agência Brasil/Cléber Caetano
O presidente da República Jair Bolsonaro esteve na Base Aérea de São Paulo, em Guarulhos, para acompanhar a partida dos donativos


O presidente Jair Bolsonaro  acompanhou a partida de dois aviões com ajuda humanitária ao Líbano , na tarde desta quarta-feira (12). As aeronaves KC-390 Millennium e Embraer 190 (VC-2), da Força Aérea Brasileira ( FAB ), decolaram, de Guarulhos-SP, com destino a capital daquele país, Beirute , para transportar a missão especial humanitária . O esforço brasileiro é compartilhado por outras nações do mundo após a explosão devastadora de carga de nitrato de amônia armazenada no porto na região de Beirute, em 4 de agosto. A explosão deixou cerca de 150 mortos e mais de 3 mil feridos.

A missão, chefiada pelo ex-presidente da República Michel Temer , leva alimentos e equipamentos de saúde, doados pelo Ministério da Saúde e pela comunidade libanesa no Brasil. A decisão foi anunciada, no último domingo (9), pelo presidente da República, em videoconferência com chefes de Estado e de governo para tratar das ações internacionais de apoio ao Líbano. O trabalho está sendo coordenado pelos Ministérios das Relações Exteriores , da Defesa e da Saúde no âmbito do Grupo de Trabalho Interministerial sobre Cooperação Humanitária Internacional , cuja secretaria executiva cabe ao Itamaraty .

LEIA TAMBÉM:

Explosão no Líbano: entenda o antes e o depois do país

O KC-390, que realiza pela primeira vez missão de assistência humanitária internacional, transporta 6 toneladas de carga, com insumos médicos , como antibióticos , corticóides, analgésicos e insumos como ataduras, seringas e cateteres; e mais 100 mil máscaras cirúrgicas e 300 ventiladores pulmonares mecânicos doados pelo Ministério da Saúde; a comunidade de origem libanesa no Brasil, por sua vez, doou grande quantidade de alimentos.  A carga estará caracterizada como mala diplomática brasileira.

Já a aeronave Embraer 190 (VC-2) transporta a comitiva da missão, composta por senadores, autoridades federais e representantes da comunidade libanesa no Brasil, e também especialistas em assistência humanitária.

Autorização

Ao aceitar o convite do presidente Bolsonaro para presidir a comitiva que partiu de Guarulhos rumo ao Líbano, o ex-presidente Temer precisou de autorização da Justiça Federal. Coube a 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, cujo titular é o juiz Marcelo Bretas , emitir a autorização de viagem. Temer é réu em duas ações penais que tramitam na 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro: Operações Radioatividade e Pripyat. A Operação Descontaminação , que deu início às duas investigações contra o ex-presidente e originaram as ações na Justiça, foram deflagradas em março de 2019. Na condição de réu, Temer estaria impedido de sair do país, no entanto, essa será a terceira vez que o ex-mandatário viaja ao exterior com autorização da Justiça Federal . As vezes anteriores aconteceram no ano passado.

Outras colaborações

O Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) continuam colaborando na elaboração de mapas com imagens satelitais de Beirute, utilizando o novo satélite brasileiro CBERS-4A. Além das capacidades dos CBERS anteriores, este novo possui mais uma câmera, com resolução de 2 metros por pixel, que será muito útil nas atividades de mapeamento emergencial pós-desastres.

As duas aeronaves decolaram da Base Aérea de São Paulo (BASP), na tarde de quarta-feira (12), rumo a Fortaleza (CE), onde será realizado o primeiro intervalo técnico. Na sequência, o KC-390 e o VC-2 seguem para a Ilha do Sal e prosseguem para Valência, Espanha. Após, decolam rumo a Beirute, com chegada prevista para a tarde de quinta-feira (13). No total, cada aeronave fará cerca de 30 horas de voo.

    Veja Também

      Mostrar mais