Prefeito Guti em live
Reprodução/Facebook/Guti
Prefeito Guti fala sobre medidas para diminuir o avanço da Covid-19, em live

O prefeito Gustavo Henric Costa, Guti, reagiu com estranheza a decisão do governo de São Paulo de manter Guarulhos na Fase 1 do plano de retomada da atividade econômica no estado, a partir de 1º de junho. O  Plano São Paulo, que traça diretrizes sobre a flexibilização da quarentena em todo o estado, foi divulgado na tarde de quarta-feira (27) pelo governador João Doria (PSDB) e classificou Guarulhos e toda a Região Metropolitana como fase 1 (vermelha), juntamente com a Baixada Santista e parte do sul do estado.

A capital, apesar de apresentar índices piores que Guarulhos em quesitos como casos confirmados e mortes, considerando o tamanho de cada população, foi incluída na fase 2 (laranja) e poderá iniciar a abertura de setores como imobiliárias, escritórios, concessionárias, comércio e shopping center.

“Em relação ao anúncio do Governo do Estado, sobre a flexibilização das regras da reabertura da economia em São Paulo, o prefeito de Guarulhos, Guti (PSD), recebeu com estranheza os critérios utilizados para liberar apenas a Capital, em detrimento dos demais municípios da Região Metropolitana”, informou a assessoria de imprensa.

De acordo com a prefeitura, “Guarulhos apresenta índices de casos confirmados e mortes, proporcionais à população, muito inferiores aos registrados em São Paulo. Lembra, inclusive, que Guarulhos contava com um plano de flexibilização, cuja segunda fase se iniciaria em 8 de maio passado, mas que não foi colocado em prática para respeitar a orientação do Estado para que todos os municípios da RMSP atuassem em bloco.

Leitos

Tanto prefeitura como empresários prevêem que a abertura do comércio na vizinha São Paulo, prejudique ainda mais a economia da Guarulhos. Na sexta-feira (29), haverá uma nova avaliação da quarentena local: “A Prefeitura de Guarulhos, respeitando o princípio de defesa da vida, deverá anunciar até a próxima sexta-feira, dia 29, quando vence o decreto em vigor em relação à quarentena, as novas regras de reabertura da economia local”.

Também na sexta a Secretaria Municipal de Saúde deverá anunciar a contratação de novos leitos da rede privada para atendimento de pacientes com coronavírus e tentar sanar um dos problemas que colaboraram para que a cidade fosse incluída na etapa vermelha na flexibilização anunciada.

Flexibilização

O Plano de flexibilização da quarentena em São Paulo estabelece novas regras de isolamento social, que darão início à retomada gradual das atividades a partir do dia 1º de junho. As medidas serão heterogêneas, levando em conta as características específicas de cada município.

O plano terá cinco etapas. As regiões serão classificadas em fases de acordo com os critérios definidos pela secretaria estadual da Saúde e pelo Comitê de Contingência da Covid-19. Só poderão iniciar a retomada das atividades as cidades com taxa de isolamento de no mínimo 55%; as que tiverem redução no número de novos casos por 14 dias seguidos e também os municípios que mantiverem ocupação nos leitos de UTI inferior a 60%.

A flexibilização só "será possível nas cidades que tiverem redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em seus hospitais públicos e privados e estiverem obedecendo o distanciamento social nos ambientes públicos, além da disseminação e do uso obrigatório de máscaras", disse o governador João Dória (PSDB).

A capital está na faixa laranja no mapa das regiões, o que significa que poderá iniciar a retomada gradual das atividades a partir de 1º de julho. Guarulhos, por sua vez, não atende a esses requisitos e terá de se enquadrar nas diretrizes. Na quarta (27), os hospitais ultrapassaram a capacidade de internações. A cidade registrou ainda 1.958 casos de pessoas com coronavírus e 227 mortes decorrentes da doença. O índice de isolamento disponível atéo fechamento dessa matéria era o de terça-feira (26). Somente 45% das pessoas ficaram em casa.

    Veja Também

      Mostrar mais