Ao todo, serão 12 satélites lançados no domingo, com projetos de 10 países diferentes.
Divulgação/Lupacom Comunicação
Ao todo, serão 12 satélites lançados no domingo, com projetos de 10 países diferentes.

A equipe SaganSat, formada por alunos e professores do ENIAC , foi selecionada para lançar um satélite à estratosfera – em torno de 35 quilômetros de altitude – no dia 7 de agosto, durante o Latin American Space Challenge (LASC), que acontece de 5 a 7/08, no Cabo Canavial, em Tatuí, interior de São Paulo . O equipamento tem diversas funções, mas uma das principais é medir a pluma vulcânica e sua movimentação nesta camada, auxiliando voos comerciais e militares a partir dos dados coletados.

A SaganSat foi escolhida por ter ficado na segunda colocação durante a Olimpíada Brasileira de Satélite (Obsat). A partir de estudos de viabilidade nessa terceira etapa da competição, durante o LASC, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) selecionará quatro equipes para enviar seus satélites à Estação Espacial Internacional (ISS).

O professor Sebastião Garcia, coordenador do Centro de Inovação Tecnológica Innovation de Guarulhos (CITIG), acredita que o satélite guarulhense tem todas as condições para alcançar o objetivo principal de chegar à ISS. “Estamos muito orgulhosos de participar e sermos prestigiados na maior competição de engenharia de foguetes e satélites da América Latina. É um evento ímpar, poucas instituições conseguem ser selecionadas. Sabemos que nosso trabalho pode render bons frutos e, por isso, a expectativa é alta”, diz Garcia. A equipe também é liderada pelo professor Edilson Camargo.

LEIA TAMBÉM:  PF apreende quase 40 kg de cocaína no Aeroporto de Guarulhos

Ao todo, serão 12 satélites lançados no domingo, com projetos de 10 países diferentes. “O nosso, em específico, tem muitas funcionalidades. Além da pluma vulcânica, ele faz medições de aceleração, pressão e temperatura, por exemplo. O nosso satélite vai se comunicar constantemente com a base de lançamento para repassar os dados captados”, explica Garcia. “Estaremos mais de 25 quilômetros acima da região por onde passam os voos comerciais, isso é bastante empolgante”, conta.

O objetivo do LASC é incentivar pessoas a desenvolver foguetes e satélites, motivando, assim, a busca por inovação e tecnologia. Em sua última edição, em 2019, participaram do evento mais de 100 times, das melhores universidades da América Latina.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários