Divulgação do Plano São Paulo
Divulgação/Governo de São Paulo
Guarulhos não se qualificou para avançar de fase, segundo critérios de Plano São Paulo, divulgados nesta sexta-feira (3)

Guarulhos não avançou de fase e terá de manter fechados bares e restaurantes, bem como academias para atividades físicas e salas de cinema. Na quinta atualização do Plano São Paulo de retomada da economia , anunciada nesta sexta-feira (3), a cidade permaneceu na fase 2, laranja, por isso não está autorizada a ampliar a flexibilização de novos setores – que pressionam a prefeitura para a reabertura .

Não é uma freada isolada imposta pelo governo de São Paulo a Guarulhos. Outras cidades importantes da Grande São Paulo e do interior também foram impedidas de retomarem seus negócios , segundo os critérios estaduais. Na região metropolitana, municípios das sub-regiões Norte (Franco da Rocha) e Oeste (Osasco), por exemplo, continuam na fase 1, vermelha, e terão de avançar bastante em relação aos casos de contágios , mortes e disponibilidade de leitos de UTIs para tratamento da Covid-19 se quiserem avançar à fase laranja.

Itaquaquecetuba, vizinha a Guarulhos no lado leste e uma das cidades que compõe a sub-região Leste (Alto Tietê), retrocedeu à fase 1. O município estava na fase 2, laranja, mas o crescente número de contágios e ocupação de leitos de alta complexidade ( UTI ) fez com que o governo de São Paulo determinasse a volta à fase inicial, vermelha. Nesse estágio, somente podem funcionar (com limitações e protocolo rígido de higiene) comércios essenciais . Guarulhos, também está na mesma sub-região de Itaquá, mas uma fase à frente. O bloco é composto ainda pelas cidades de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano.

LEIA TAMBÉM:

Guti acena com a antecipação de outros setores do comércio

Região de comércio do Centro tem aglomeração na reabertura das lojas

Embora impedida pelo Plano São Paulo , em 12 de junho a prefeitura de Guarulhos permitiu a abertura de vários setores que ainda estão vetados para as cidades da fase amarela , como a capital, cidades do ABC e Taboão da Serra. Em Guarulhos, os salões de cabeleireiros e barbearias já funcionam há três semanas, por exemplo. A prefeitura entende ter autonomia para determinar o que pode e precisa funcionar e exerce esse arbítrio, indiferente às determinações impostas pelo governo estadual.

À frente

A capital paulista e as sub-regiões do ABC e de Taboão da Serra permaneceram na etapa amarela, que libera reabertura de bares , restaurantes e salões de beleza com 40% da capacidade e expediente diário de até seis horas. Esse grupo está qualificado para flexibilizar mais setores impedidos de abrir, desde o início da quarentena , em março, e poderão retomar parcialmente o funcionamento das academias na próxima semana. Se permanecerem por 28 dias seguidos na fase amarela também poderão avançar mais e reabrir, com limitações, espaços culturais como museus, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos.

Guarulhos tem índices de letalidade perto de 7%, mas os casos de novos contágios e de mortes têm crescido e preocupado tanto as autoridades de saúde locais quanto estaduais. A cidade registrou no último boletim epidemiológico , divulgado na noite de quinta-feira (2), 9.336 casos confirmados e 689 mortes. A taxa de ocupação de leitos de UTI para pacientes com Covid-19 é 61,54% e em leitos de enfermaria , 81,63%.

    Veja Também

      Mostrar mais