Ônibus lotado é cena comum nos horários de pico
Ricardo Filho/iG Guarulhos
Cena de ônibus lotado nos horários de ida ao trabalho e volta para casa deve piorar com a retomada de bares e restaurantes nesta semana


Na sexta-feira (13), Guarulhos conseguiu obter autorização do governo do estado para reabertura de bares , restaurantes , salões de beleza e barbearias , além da ampliação do horário de funcionamento dos comércios . No sábado as igrejas já puderam abrir, com a obrigação de monitorar distanciamento social e receber somente 40% dos fiéis, além de uso de máscara e álcool em gel. Na mesma sexta à noite, o secretário de Justiça, Airton Trevisan, anunciou que a frota de ônibus disponível à população vai aumentar de 65% para 70%, ou seja, em 7,7% ou 5 pontos percentuais.

"Deveremos chegar, no mínimo, a 70% da frota nesta semana, de acordo com a retomada econômica . Se retomarmos 100% enquanto menos da metade das pessoas usam ônibus, vamos responder por improbidade , por gastar dinheiro público em uma algo proporcionalmente não necessário", se justificou Trevisan

Os ônibus em Guarulhos estão abarrotados nos horários em que as pessoas se deslocam de casa para o trabalho e no final da tarde e início da noite, quando retornam. Na terça-feira (7), Guarulhos conseguiu restabelecer na Justiça o funcionamento da frota de ônibus em 65% , derrubando sentença liminar que obrigava as empresas de transporte a colocarem 100% da frota em circulação.

Distanciamento

O  mandando de segurança impetrado do SindLotação (Sindicato dos Trabalhadores Autônomos em Lotação de Guarulhos)  contra a prefeitura, porém, nem chegou a ser cumprido. Antes do prazo de dez dias para acatamento da decisão liminar e após o prefeito Gustavo Henric Costa (PSD) afirmar que cumpriria a sentença, a administração entrou com recurso e derrubou a primeira determinação judicial, mantendo a frota circulando com os mesmos 65% que já vinha oferecendo.

LEIA TAMBÉM:

Guarulhos reabre bares e restaurantes na segunda de olho nos números da Covid-19

Guarulhos derruba liminar que a obrigava a manter 100% dos ônibus

Ponto de ônibus da rua Sete de Setembro
Ricardo Filho/iG Guarulhos
Nos horários de pico as pessoas ficam aglomeradas nos pontos de ônibus, aumentando risco de contágio por covid-19

O problema de insatisfação da população com o transporte público , todavia, não cessa com a cassação da liminar do SindLotação. Diariamente o prefeito Guti trata de responder a um ou outro munícipe descontente com a superlotação em ônibus municipais durante as transmissões ao vivo diárias que faz. E as críticas, que também invadem as redes sociais, têm razão de ser quando se observa os pontos de ônibus e o interior dos coletivos em horários de pico. Nesse período, é impossível de se cumprir a recomendação de distanciamento social para evitar a disseminação do novo coronavírus . Com as pessoas ocupando praticamente os mesmos espaços dentro dos ônibus o risco de novos contágios é preocupante, tanto para passageiros quanto para motoristas .

Constatação

Uma caminhada pela rua Sete de setembro na quinta (9) e sexta-feira (10), por volta de 18 horas, dá bem a noção do ricos que se expõem as pessoas que dependem do transporte público municipal. Pontos lotados, ônibus apinhados e passageiros que além de espremidos nos corredores retiram a máscara tão logo entram no coletivo, numa total falta de respeito a outros usuários do transporte público que tentam chegar em casa.

Enquanto a população aguarda a efetivação da medida, que prevê aumento de 5 pontos percentuais ou 7,7%  da frota, a partir desta segunda-feira (13) um novo exército de pessoas estará nas ruas e nos pontos de ônibus com destino ao trabalho e ao consumo, tão necessários à manutenção dos empregos e da renda.

    Veja Também

      Mostrar mais